quarta-feira, 7 de setembro de 2011


UMA NOVA MULHER PARA UM NOVO HOMEM...

“ A mulher sábia edifica a sua casa, mas a insensata, com as próprias mãos,a derruba.” Prov. 14:1
“As mulheres sejam submissas ao seu próprio marido, como ao Senhor; porque o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o cabeça da igreja...” Efésios 5:22 e 23
Aqui no no curso nós temos batido bastante na tecla para que os maridos demonstrem amor pela sua esposa, afirmando que elas têm necessidade de afeto, de carinho, e que a sensibilidade delas é algo importante para que haja alegria no relacionamento. Mas e com relação aos homens, será que eles também têm necessidade de se sentirem amados ou isso é "coisa de mulher"?
Os homens também precisam ter a convicção de que são amados. Para eles o amor está mais voltado ao respeito que sua mulher tem para com ele. Mas, o que é o respeito?
1- Vamos considerar algumas coisas que denotam respeito para com ele:

CONFIANÇA: O homem precisa que aqueles que estão debaixo de seus cuidados tenham confiança nele, que saibam e acreditem que ele está fazendo o melhor para o bem da família. Issso não quer dizer que não vai errar nunca ou acertar sempre, pois mesmo com o maior amor que possa amar, ele continuará sendo um ser falível, não terá a onipotência consigo. Quando a esposa não confia e ele se dá conta disso, é uma declaração de sua incompetência.
Isso pode se dar nas pequenas coisas do cotidiano, até mesmo um palpite vindo dela, um conselho, pode parecer-lhe que ela está dizendo que ele é um incapaz e não merece a confiança dela.
As mulheres por natureza são bem falantes, e às vezes falam até para provocar uma aproximação, melhorar a intimidade conjugal, mas é preciso dosar isso para que não provoque um efeito contrário.É comum um marido pensar horas a fio em como resolver um problema e quando vai por a mão na massa, a esposa vem com duas ou mais soluções e alternativas para o problema, que na verdade ela mal teve tempo para pensar sobre ele. O marido pode ver isso como uma falta de confiança no "taco" dele.Algumas coisas são próprias para o marido resolver, e se ele pedir uma ajuda, não há problema algum nisso, aliás é muito bom resolver em conselho pois se houver um erro, não haverá acusação.
É sempre interessante ter um comportamento que favoreça a auto afirmação dele, isso é papel de ajudadora. Mas e se ele errar? Ora, será uma oportunidade para aprender e crescer.
A mulher quando for intervir, faça com tato e jeitinho próprio das mulheres para que ele não fique melindrado na sua masculinidade.

ACEITAÇÃO: Ser aceito como é, sem que se queira mudá-lo é um grande sinal de respeito e de amor para com ele.Se quiser mudá-lo, que seja sem palavras e cobranças, mas com gestos que o façam repensar a vida e suas atitudes. Ele precisa do aplauso dela nas coisas que faz. É uma validação, e isso tem a ver com o que ele é, pois é assim que um homem se vê e se julga, pelas suas realizações bem sucedidas.Quer acabar com um homem ? Menospreze o seu trabalho, as suas habilidades, a sua competência e capacidade.Desconsidere-o por isso e não precisará mais nada para destruí-lo.
APRECIAÇÃO: Ele precisa se sentir importante na vida da esposa, sentir-se estimado como algo precioso,alguém imprescindível. Apreciação tem a ver com um julgamento positivo que se faz sobre a pessoa, é a valorização do outro.
ADMIRAÇÃO: é um sentimento de prazer por aquilo que é belo ou bom. Qual homem não gosta de ser admirado pelo que seu caráter, sua dignidade, competência e, porque não, pelos seus dotes físicos. Você mulher, pegue papel e caneta e comece a anotar as coisas boas que encontra no seu marido, você poderá se surpreender, verá que existem coisas não muito boas, mas também encontrará coisas interessantes nele.Ele é trabalhador, bom pai, bom filho, honesto nos contratos, bom pagador, temente a Deus ? Veja quantas coisas boas pode haver nele, a você cabe admirá-lo pelo que é e pelo que faz.


ENCORAJAMENTO: A esposa que encoraja, é aquela que diz " você é bom nisso, vá em frente", "Vai que vai dar certo!", é aquela que elogia. Ela é uma mola que impulsiona o homem para as suas conquistas, é alguém que vibra com os seus resultados.Se é um momento difícil da vida ela diz: "Vai que estou com você, conte comigo, você vai conseguir!!".

Isso é respeito, é a forma como os homens se sentem amados pelas suas esposas.
2- Como falar em amar os maridos sem falar da área sexual ?
Muitos maridos se queixam de que suas esposas não os correspondem no relacionamento sexual. É preciso ajustar essa área no casamento, para que Satanás não ache “brechas” e tenha legalidade. Mais adiante teremos estudos mais completos sobre o assunto. Por hoje, fica algumas dicas para as esposas...
O apóstolo Paulo, instruindo os casais da igreja que estava na cidade de Corinto, escreveu sobre o porque marido e mulher devem buscar sempre um ajustamento nessa área:
"... mas, por causa da impureza, cada um tenha a sua própria esposa, e cada uma, o seu próprio marido.
O marido conceda à esposa o que lhe é devido, e também, semelhantemente, a esposa, ao seu marido.
A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim o marido; e também semelhantemente, o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim a mulher.
Não vos priveis um ao outro, salvo talvez por mútuo consentimento, por algum tempo, para vos dedicardes a oração e, novamente, vos ajuntardes, para que Satanás não vos tente por causa da incontinência". (1 Co 7.2-5)
O que os maridos esperam das esposas em relação ao sexo ?
Aqui estão algumas dicas para as esposas...
1- Que o desejo delas seja exclusivo para eles. Desejo engloba amor, paixão, tesão ...

2- Que também tomem a iniciativa no ato sexual, pois mesmo os homens precisam se sentir desejados e desejáveis.

3- Que não escondam os sentimentos prazerosos, que se libertem da timidez e deixem fluir a excitação e as manifestações de prazer, pois quanto mais a mulher se mostra excitada, mais o homem também se excita.

4- Que se vistam adequadamente para uma noite de amor, com roupa sexy,sensual, nada de camiseta velha, que seja à meia luz, que ela esteja desejável, cheirosa...

5- Que conheça as zonas erógenas, especialmente a genitália.

6- Ajudem, sejam firmes no propósito do sexo sem pecado, porém, não tente transformar em pecado aquilo que Deus não disse que é. Entendam de uma vez, que todos os membros do nosso corpo foram ali colocados por Deus.
7- Que elogiem o desempenho, pois isso faz bem a alma masculina e irá melhorar a próxima relação.

8- Que a necessidade sexual deles é diferente da necessidade delas, e que é preciso ajustar a quantidade, sendo a qualidade necessária sempre.

9- Que se o ponto G das mulheres é o ouvido, o dos homens é a visão, por isso não se escondam tanto ( ou depois não reclamam que não são procuradas).

10- Que a esposa seja sua AMANTE !!!

quinta-feira, 28 de julho de 2011


Um Casamento que Glorifica a Deus

Existem certas coisas neste mundo que não podem ser vistas, mas que podem ser ilustradas ou demonstradas de alguma forma:
* Eletricidade: você não pode vê-la, mas experimente colocar o dedo na tomada e perceberá que ela realmente existe;
* Oxigênio: tente prender a respiração por apenas cinco minutos e verá não só que o oxigênio existe, mas que você precisa dele para viver;
* Gravidade: jogue uma agulha de cima de um prédio e ela cairá (não tente pular do prédio, pois as conseqüências podem ser ruins).

A Palavra de Deus nos mostra que existem certos aspectos da vida cristã que também não podem ser vistos, mas que podem ser demonstrados. E a relação entre Cristo e a Igreja é uma delas!

"Mulheres, sujeite-se cada uma a seu marido, como ao Senhor, 23-pois o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o cabeça da igreja, que é o seu corpo, do qual ele é o Salvador. 24-Assim como a igreja está sujeita a Cristo, também as mulheres estejam em tudo sujeitas a seus maridos. 25-Maridos, ame cada um a sua mulher, assim como Cristo amou a igreja e entregou-se por ela 26-para santificá-la, tendo-a purificado pelo lavar da água mediante a palavra, 27-e para apresentá-la a si mesmo como igreja gloriosa, sem mancha nem ruga ou coisa semelhante, mas santa e inculpável. 28-Da mesma forma, os maridos devem amar cada um a sua mulher como a seu próprio corpo. Quem ama sua mulher, ama a si mesmo. 29-Além do mais, ninguém jamais odiou o seu próprio corpo, antes o alimenta e dele cuida, como também Cristo faz com a igreja, 30-pois somos membros do seu corpo. 31-or essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e os dois se tornarão uma só carne. 32-Este é um mistério profundo; refiro-me, porém, a Cristo e à igreja. 33-Portanto, cada um de vocês também ame a sua mulher como a si mesmo, e a mulher trate o marido com todo o respeito. " Efésios 5.22-33

Deus deseja ilustrar no casamento uma relação única que existe entre Cristo e a Igreja. Nenhum outro tipo de relacionamento representa tão intimamente esta união. Nem mesmo o amor entre mãe e filho é tão íntimo quanto o casamento, pois apenas marido e mulher formam “uma só carne”. Portanto, se os casados querem cumprir seu propósito neste mundo de glorificar a Deus com suas vidas, precisam ter um casamento que reflita a união entre Cristo e a Igreja. Tanto o marido como a esposa têm a sua participação nisso, embora de formas diferentes.
1. As esposas glorificam a Deus refletindo a submissão da Igreja à Cristo .

"Mulheres, sujeite-se cada uma a seu marido, como ao Senhor," Efésios 5.22

Quando o texto bíblico acrescenta a expressão “como ao Senhor”, está colocando um padrão altíssimo para a mulher. Ela deve ser submissa ao marido da mesma forma em que deve estar debaixo da autoridade do próprio Cristo.

Este tipo de submissão não é devida apenas ao marido. Todas as pessoas devem ser submissas a todas as autoridades, pois a Bíblia afirma que toda autoridade procede de Deus. É Ele quem concede autoridade ao presidente, aos governadores, aos juízes, ao seu patrão, etc. Por isso, aqueles que têm problemas em se submeter a elas, demonstram ter problemas em se submeter à autoridade do próprio Deus.
Por outro lado, a mulher que se submete ao marido demonstra ter um coração submisso ao próprio Cristo, e, neste sentido, sua vida manifesta o tipo de submissão que a Igreja deve ao Senhor. Deus é glorificado por isso, pois Sua autoridade é exaltada por mulheres que voluntariamente se sujeitam ao marido por reconhecerem, por detrás dele, a autoridade que vem do próprio Deus.
Em seguida, Paulo mostra porque a submissão da mulher ao marido é algo tão importante: porque representa a submissão que a própria Igreja deve a Cristo.
"23-pois o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o cabeça da igreja, que é o seu corpo, do qual ele é o Salvador. 24-Assim como a igreja está sujeita a Cristo, também as mulheres estejam em tudo sujeitas a seus maridos." Efésios 5.23-24

Ser submissa não significa ser inferior ao homem, ou que a mulher tem menos valor dentro da família, mas sim que, dentro do lar, o marido foi colocado por Deus como sendo a autoridade final. E podemos perceber que submissão não é sinônimo de ser inferior dentro da Trindade. Temos três pessoas distintas: Pai, Filho e Espírito Santo. Os três são igualmente Deus, mas, no entanto, existe uma hierarquia de autoridade entre Eles, na qual o Pai está acima. O fato de Jesus estar abaixo nesta hierarquia não significa que Ele é menos Deus, ou menos importante.

Todos os seres humanos são iguais perante a lei. Não existe alguém que tenha mais valor do que outro. No entanto, existe diferença de autoridade entre as pessoas. Um juiz, como pessoa, possui o mesmo valor do que eu, mas por causa de sua função, ele tem autoridade sobre mim, e eu devo me submeter a ele.
Diante disso, podemos chegar às seguintes conclusões práticas:
• Depois que o marido tomar uma decisão final (após uma conversa com a esposa), a esposa deve acatar a decisão sem crítica negativa ou rebeldia.
• a mulher não deve tentar mandar no marido de forma indireta, através de chantagem emocional (lágrimas) e usando o sexo como arma.
• é sábio que o marido tome as decisões junto com a esposa. Porém, em caso de divergência, a decisão final é do marido;
• mulheres, consultem seus maridos antes de tomar uma decisão;
• evite criticar de maneira errada as decisões do marido;
• fale para seu marido aquilo que você espera dele como líder, não espere que ele adivinhe sua vontade;
• não se rebele diante das decisões de seu marido, a menos que tenha um motivo bíblico.
2. Os maridos glorificam a Deus refletindo o amor de Cristo pela Igreja

"Maridos, ame cada um a sua mulher, assim como Cristo amou a igreja e entregou-se por ela" Efésios 5.25
O texto bíblico nos mostra que o padrão de Deus para os maridos também é altíssimo. Eles devem amar suas esposas da mesma forma que Jesus amou a Igreja. E o amor de Cristo se manifestou por nós especialmente através de Seu sacrifício na cruz em nosso favor.
A Bíblia nos mostra que o sacrifício de Jesus pela igreja teve um objetivo. Ele foi feito com o propósito de santificá-la, para aperfeiçoá-la.
"26-para santificá-la, tendo-a purificado pelo lavar da água mediante a palavra, 27-e para apresentá-la a si mesmo como igreja gloriosa, sem mancha nem ruga ou coisa semelhante, mas santa e inculpável." Efésios 5.26-27

No verso 28, Paulo diz: “Assim também os maridos devem amar a sua mulher”. Isso significa que, de certa forma, Deus espera que o amor dos maridos se manifeste em sacrifício que produza crescimento e santificação na vida das esposas. Os maridos são, portanto, pastores de suas esposas.
O sacrifício que Deus espera dos maridos em relação às suas esposas não é de qualquer natureza. Existem maridos que se sacrificam no trabalho para dar boas condições financeiras para a esposa. Existem aqueles que se empenham em satisfazer a esposa emocionalmente, socialmente ou sexualmente. Porém, a Bíblia ordena que os maridos cuidem de suas esposas espiritualmente. O sacrifício, de acordo com o texto, é para produzir santificação.
Maridos, não vale a pena conquistar o mundo (negócios) e perder a sua esposa e família. Dedique tempo à sua esposa. Não precisa ser horas do seu dia, mas planeje-se para sempre ter tempo para ela.
• proporcione tempo para que sua esposa busque a Deus;
• lidere espiritualmente o seu lar (orações, conversas, culto doméstico, etc);
Veja algumas sugestões práticas:
• Tempo de sofá: Pode ser apenas quinze a vinte minutos do seu dia para se sentar com sua esposa e perguntar como foi o dia dela e ouvi-la.
• Tempo devocional: o marido também é o líder espiritual da família. Separe um tempo para orar e ler a Bíblia com sua esposa para que vocês possam crescer juntos.

Assim como Cristo ama a Igreja, que é o Seu corpo, nós devemos amar nossa esposa, pois ela é o nosso corpo. A Bíblia diz que quando nos casamos ocorre a união mais profunda entre dois seres humanos: os dois se tornam uma só carne. Também ensina que já não temos mais poder sobre o nosso corpo, pois ele pertence ao nosso cônjuge (1 Coríntios 7.4). Por isso, ao amar sua esposa, na verdade, estará amando a si mesmo:
"Da mesma forma, os maridos devem amar cada um a sua mulher como a seu próprio corpo. Quem ama sua mulher, ama a si mesmo. Além do mais, ninguém jamais odiou o seu próprio corpo, antes o alimenta e dele cuida, como também Cristo faz com a igreja, pois somos membros do seu corpo. "Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e os dois se tornarão uma só carne." "Este é um mistério profundo; refiro-me, porém, a Cristo e à igreja." Efésios 5.28-32

Ao fazer isso, estamos manifestando o amor que Cristo tem pela Igreja. A relação entre as duas coisas é tão íntima que Paulo começa o verso 31 falando do casamento e no 32 afirma estar se referindo, na verdade, a Cristo e à igreja. E a conclusão, em seguida é:
"Portanto, cada um de vocês também ame a sua mulher como a si mesmo, e a mulher trate o marido com todo o respeito." Efésios 5.33

O seu casamento está sendo uma ilustração fiel do relacionamento entre Cristo e a igreja? Para que seja assim, é preciso investir no relacionamento. É preciso conversar, buscar a Deus (separados e juntos), orar, e praticar os princípios bíblicos.
Que a glória do Deus invisível se torne visível às pessoas por meio do seu casamento!!!
Autor: Ivis Fernandes

O Casamento, um projeto da graça de Deus
Vivemos uma época de diversidade de conceitos sobre o casamento. Os casais modernos aderem a esses conceitos. Entre muitos, a do casamento experimental. Por conseqüência é comum encontrar pessoas frustradas e deprimidas. No livro do profeta Oséias, no capítulo 4 e verso 6 está escrito:

“ O meu povo perece por falta de conhecimento!” Oséias 4:6

Os sentimentos mais nobres que norteiam o matrimônio estão baseados no amor mútuo, no companheirismo e na lealdade, seguidos de um compromisso de vida à dois. Por esse ângulo entendemos que o amor sem compromisso vale tanto quanto o ódio. O nosso Deus é Deus de propósitos. Por isso ao estabelecer o casamento, instituiu três propósitos básicos para mantê-lo:
TRÊS PROPÓSITOS BÁSICOS
• QUE O CASAL SEJA UMA UNIDADE
Ao unirem-se em matrimônio o marido e a mulher passam a ser uma só carne, como está escrito no evangelho. Respondeu-lhe Jesus: “ Não tendes lido que o Criador os fez homem e mulher desde o princípio, e que ordenou: por isso deixará o homem seu pai e sua mãe e unir-se-á a sua mulher e serão os dois uma só carne. Portanto o que Deus uniu, não separe o homem”. Esse é o princípio que deve ser praticado pelo casal. O Senhor Jesus, em sua oração sacerdotal pede que sejamos um, assim como ele é com o Pai. ( João 17:11-21) O apóstolo Paulo reafirma que os maridos devem amar as suas esposas como Cristo amou a Igreja. (Efésios 5: 25,26), e que as esposas devem amar os seus maridos como a Igreja deve ser dedicada a Cristo. Este princípio ensinado por Cristo, leva-nos a entender que quando o esposo trata a esposa com amor verdadeiro, à maneira de Cristo, esse facilita para que as esposas lhe sejam submissas. Quando as esposas aceitam a submissão ao marido - não como escravas, mas como companheira tornam fácil os maridos amarem suas esposas. O desejo de Deus para um casamento abençoado, é sobretudo que exista um perfeito equilíbrio, pois apesar de serem uma só carne, é necessário que exista respeito a individualidade de cada um.
• QUE O CASAL SEJA FELIZ
Um dos princípios bíblicos é que devemos viver intensamente a vida conjugal com alegria. O livro de cantares de Salomão dá-nos esse exemplo, mostrando toda beleza de um relacionamento ideal entre o homem e a sua mulher. O amor definido no livro de Cantares não mostra um sentimento passageiro com relação a tudo que traz prazer e poesia ‘a vida, quando diz: “ É melhor do que o vinho” e “ Do teu amor nos lembraremos mais que o vinho, não é sem razão que te amam”. O vinho, aqui descrito é apenas uma alegoria, e o que o autor deseja exprimir nessa comparação é uma efusão de alegria que deve existir num relacionamento conjugal abençoado por Deus (Cantares 1:2 e 1:4) O amor conjugal deve ser como um banquete de almas, uma celebração de alegria pelo prevalecer de dois seres sobre o egoísmo indômito, adversário daqueles que desejam ser apenas um. Esta alegoria representada pelo vinho, em Cantares, é a mais bela expressão que o casamento pode representar.
• QUE O CASAL SEJA MULTIPLICATIVO
Deus quer que os filhos venham ao mundo numa atmosfera de alegria e amor e sejam eles os frutos do amor. Os filhos, à medida que vão crescendo, vão se espelhando na vida diária dos seus pais; sentindo alegria quando esses mostram alegria, felicidade e proteção, mas sobretudo amor quando vêem isso neles.
O PRIMEIRO CASAL A EXPERIMENTAR A GRAÇA DE DEUS
O maravilhoso relato sobre o relacionamento de Deus para com o ser humano, e de um ser humano para o outro, se encontra logo nos primeiros capítulos da Bíblia Sagrada. (Gênesis 1:26-28) Também a narrativa de sua criação segundo a imagem e semelhança de Deus. (Gen. 2:22). A mensagem do texto mostra claramente que Ele a criou a mulher cuidadosamente, com propósitos específicos. Adão, fora criado do pó da terra, mas Eva, de sua costela. Vejamos que Eva , tirada da costela de Adão, dá-nos a nítida certeza de que fora criada para ser sua companheira e adjutora.
A primeira reação de Adão ao despertar-se do sono foi:
“Esta é afinal, ossos dos meus ossos e carne da minha carne” . ( Gênesis 2:23)
Observe que Adão não disse: Ótimo! Agora terei alguém para recolher as coisas que deixarei espalhadas, fazer as tarefas do lar ou me servir em tudo o que precisar! O texto ainda acrescenta:
“ Por isso deixará o homem o seu pai e a sua mãe e se unirá a sua mulher e serão os dois, uma só carne”.(Gênesis 2:24).
No projeto da graça de Deus estava previsto que eles deveriam respeitar a individualidade um do outro, entendendo que eles próprios seriam a expressão mais pura do amor e satisfação de Deus para toda a humanidade. O casamento sob a graça divina é aquele que vive sob o serviço e a dependência de Deus.
O DESLIZE PARA FORA DO PROJETO DE DEUS
Num instante tudo mudou para Adão, Eva e também para toda a humanidade. Momentos antes eles se encontravam em plena comunhão com o Criador, e dependiam totalmente D’Ele, mas agora suas vidas estavam completamente mudadas, e o pecado fazia-os sentir vergonha e impulsionava-os para se esconderem entre os arbustos. Daí em diante todo o projeto de se tornarem uma só carne acabou, transformando-se em mútuas acusações. Quando eles estavam na dependência de Deus, era ELE que supria todas as suas necessidades, mas agora, um olhava para o outro, buscando em seu companheiro, o preenchimento de suas carências.
Quando a serpente convenceu-os de que poderiam se tornar como Deus, ela omitiu o fato de que a partir dai eles jamais receberiam seus favores e da mesma forma que poderiam fazer o que quisessem, também deveriam suprir mutuamente suas necessidades.
O Pai amoroso, agora, mesmo desejando, não poderia ajuda-los, determinando assim o que chamamos hoje de: “A queda do homem”.
MOSTRAS DE RELACIONAMENTOS DESVIRTUADOS
Três pontos básicos nos mostram como esses acontecimentos nos afetam como maridos e esposas nos dias de hoje:
• Sentiram medo de Deus e esconderam-se D’Ele.
• Sentiram vergonha um do outro.
• Acusaram-se mutuamente.
Tudo isso ocasionou no que identificamos como “Maldição”. Como conseqüência do pecado da mulher, Deus disse: “ O teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará”
A culpa pelo fracasso trouxe à tona o sentimento de egoísmo da mulher que lançou a responsabilidade sobre o diabo, que a enganou. Adão por sua vez acusou sua companheira. Isso passou a ser um procedimento normal até os dias de hoje. Buscar culpados pelo nosso fracasso é comum em toda a sociedade, fazendo disso temas inesgotáveis para sociólogos, psicanalistas, médicos terapeutas, e indo pelos caminhos místicos para resolver seus problemas.
A “Maldição”, sobre o homem foi:
“Maldita será a terra por tua causa; com dor comerás dela todos os dias. Espinhos e cardos também ela te produzirá; comerás a erva do campo, e do suor do teu rosto comerás o teu pão, até que te tornes à terra, de onde fostes tomado, porque és pó e para o pó te tornarás”. (Gen. 3:18,19)

Desde então o homem tem procurado satisfazer-se no trabalho nos desejos carnais, recebendo em conseqüência infindáveis conflitos e angustias. Tudo o que deveria ser canalizado para Deus, agora canaliza-se em sua satisfação pessoal e na defesa de sua família.

RELACIONAMENTOS REGIDOS PELA MALDIÇÃO
A vida humana quando regida pelo ego e essencialmente pecaminosa, criando um círculo vicioso de causas e efeitos, tornando o ser humano num ser essencialmente egoísta. Tudo começou em Adão. No plano original de Deus, o casal deveria dominar mutuamente sobre tudo, mas após a queda, tanto o homem quanto a mulher, assumiram o comando de suas vidas; empreendendo uma luta constante de auto-libertação. Relacionamento regido pela maldição é quando um procura dominar o outro para satisfazer o ego. Todas as pessoas que vivem sob a regência da maldição é egoístas; buscando sempre satisfazer os seus próprios desejos em detrimento do outro.
O verdadeiro objetivo do egoísta estará sempre acobertado sob sutilezas e artimanhas extremamente egocêntricas. Vejamos:
1.Quero que meus filhos estejam sempre bem arrumadinhos por causa do que os outros possam pensar de mim.
2.Meu cônjuge deve estar sempre bem vestido para que as pessoas tenham uma boa impressão de mim.
3.Tenho que demonstrar minha autoridade sobre o meu cônjuge para que todos me respeitem.
4.Se o meu cônjuge não fizer as minhas vontades, o que vão pensar de mim?
Com esse tipo de procedimento percebe-se que as atitudes dos envolvidos são profundamente egocêntricas, e a auto estima passa a ser negativa.

EFEITOS DA REGENCIA MALDITA
1.Sensação de estar sendo sufocado.
2.Insatisfação, estresse e amargura.
3.Desânimo de viver e desejo de buscar soluções em outros relacionamentos.
4.Sensação de perda de liberdade.
5.Sentimento de culpa pela infelicidade do cônjuge.
6.Mal-de-Caim, ou seja sensação de estar sendo acusado e de todos os fracassos e culpas.
7.Insegurança.

COMPREENDENDO OS PROPÓSITOS DA UNIÃO MATRIMONIAL
Em princípio os maiores causadores de esgotamentos e desânimo nos relacionamentos, somos nós mesmos. Empreendemos uma tarefa muito além de nossas capacidades para realiza-la. O efeito sempre tem gosto amargo. Para que um relacionamento tenha êxito, em primeiro lugar devemos compreender que o ser humano é especial diante de Deus, e que somente o Senhor tem capacidade para transforma-lo. Prova é que quando Deus criou a raça humana, Ele não a fez completa, ou a humanidade toda em um só momento. Tudo começou com apenas uma semente. Ele criou no princípio uma só pessoa, depois outra, até formar uma família. E após forma-la, disse: Crescei, multiplicai, enchei a terra e dominai. (Gênesis 1:28)

EXERCÍCIOS PRÁTICOS
Ao tomar conhecimento da Graça de Deus, o primeiro passo a ser dado, naturalmente deve ser o de tomar posse do seu direito nela. Observem atentamente alguns princípios que vão ajudá-los quando vocês o declararem juntos:

1)O Senhor Jesus Cristo restaurou o nosso direito de ser livre, por isso, o Senhor Deus vai nos atender! (João 8:32)
2)Senhor Deus suprirá todas as nossas necessidades em glória por Jesus Cristo! (Filipenses 4:19)
3)Não somos nós mais quem vivemos, mas Cristo vive em nós e é o seu propósito que sejamos felizes juntos.
4)Senhor Jesus Cristo levou sobre si todas as nossas culpas e pecados passados e em suas pisaduras somos sarados, por isso nossa família é uma bênção! (Isaias 53:10)
5)Podemos todas as coisas naquele que nos fortalece. (Filipenses 4:13)

Autor: Pedro Almeida
Coordenador Nacional Ministério de Casais da Igreja Quandrangular
www.minacq.com.br e www.centraldepregadores.com.br/pedro-almeida

terça-feira, 12 de julho de 2011


Quando as mulheres se calam...

Deus estabeleceu um princípio como a vida deve ser preservada. Esse princípio é imutável, pois todas as coisas do universo estão de uma forma ou outra envolvidas nesse processo. A vida é preservada através desse método divino.

“Não julgueis, e não sereis julgados. Não condeneis, e não sereis condenados. Perdoai, e perdoar-vos-ão. Daí, e dar-se-vos-á boa medida, recalcada, sacudida e transbordante, generosamente vos deitarão em vosso regaço, pois com a medida com que medirdes, vos medirão a vós.” Lucas 6:37-38

“...Não vos enganeis: Deus não se deixa escarnecer. Tudo que o homem semear isso também colherá.” Gálatas 6:7

“...E digo isto: que o que semeia pouco, pouco também ceifará, e o que semeia com fartura, com fartura também ceifará.” II Coríntios 8:6

“Ora, aquele que dá a semente ao que semeia, e pão ao alimento, também multiplicará a vossa sementeira, e aumentará os frutos de vossa justiça. II Coríntios 9:10

“Assim como desce a chuva e a neve dos céus, e para lá não torna, mas rega a terra a terra e faz brotar, e dar a semente ao semeador e pão ao que come, assim será a palavra que sair da minha boca: ela não voltará vazia, mas fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a enviei.” Isaías 55:10-11

A semente quando cai sobre a terra, germina, e através do processo da colheita,é colhida e transforma-se no pão que preserva a vida.
Esse é o método de Deus para a continuidade da vida. Semeadura e Colheita. Da mesma forma, como uma semente que germina, palavras, atitudes e comportamentos são sementes plantadas que produzirão seus frutos, cada um segundo a sua espécie.

PALAVRAS SÃO SEMENTES LANÇADAS NO SOLO DO CORAÇÃO.

Como são simples as coisas de Deus! Elas não são complexas e teóricas. Jesus nos ensina na parábola do semeador que sua palavra é a semente que caiu em partes; num solo espinhoso, pedregoso, e por fim caiu num solo preparado.

“Mas o que foi semeado em boa terra é o que ouve a palavra e compreende. Ele dá fruto, e produz a cem, a sessenta e a trinta por um.” Mateus 14:23.

Da mesma forma as atitudes que tomamos com relação as pessoas e a vida estão interligadas a esse processo de semeadura e colheita.

A COLHEITA É DE ACORDO COM A SEMEADURA

Quando semeamos a paz, haverá uma colheita de paz. Quando semeamos amor, haverá colheita de amor, mas se semearmos a contenda, o ódio, a amargura, a colheita será em espécie e em proporção à aquilo que semeamos.
A maioria dos conflitos que estamos sofrendo dentro de casa, foram sementes plantadas. É a colheita do que foi semeado.

“... Pois onde há inveja e sentimento faccioso, vem o maligno e arrebata o que foi semeado no coração.”(Tiago 3:16)

SEMEANDO BOAS SEMENTES NO SOLO DO CORAÇÃO

“Assim diz o Senhor aos homens de Judá e a Jerusalém, lavrai para vos campo de lavoura e não semeeis entre espinhos ...” “Circuncidai-vos para o Senhor e tirai os prepúcios do vosso coração.”(Jeremias 4:3-4)

“Ouvido alguém a palavra do reino e não compreendendo, vem o maligno e arrebata o que foi semeado no coração...”(Mateus 13:19)

Estamos lançando sementes que germinarão através de palavras e atitudes. Sendo o solo fértil para a semeadura, devemos cuidar para não lançarmos junto com o trigo, na plantação de Deus. Portanto, cuidemos das sementes que plantarmos, pois a sua qualidade determinará o sucesso da colheita.

COMO SEMEAR COMPREENSÃO NO RELACIONAMENTO?

•Evite o conflito.
Quando um não quer, dois não brigam. Um dos cônjuges deve tomar uma posição ativa contra o conflito: (Mateus23:12)
•Jamais ignore o seu cônjuge ou use o silêncio como desafio.
•Direcione sua batalha contra os inimigos de Deus, jamais contra seu cônjuge.(Efésios 6:12 )

PEDINDO SABEDORIA DE DEUS DURANTE O CONFLITO

Somente o poder de Deus pode mudar um relacionamento em conflito. O bom senso deve ser fator importante para se tomar decisões certas. Um excelente método é render-se a Deus imediatamente. O controle da língua é uma tarefa muito difícil, mas necessária a quem deseja solucionar problemas nessa área. O salmista pediu a Deus em oração.

“Põe, ó Senhor, uma guarda na minha boca, guarda a porta dos meus lábios.” (Salmos 141:3)

O apóstolo Pedro também deu o seu conselho a quem desejar os dias bons em sua vida:

“Porque quem quer amar a vida, e ver os dias bons, refreie a sua língua do mal, e não falem o engano.” (I Pedro 3:10)

“Porque por tuas palavras serás justificado, e por tuas palavras serás condenado.” (Mateus 12:37)


Autora: Silvana Almeida
Coordenadora Nacional Ministério de Casais da Igreja Quandrangular
www.minacq.com.br

Família, lugar de semeadura e colheita
(Pedro Leal Junior)

Gálatas 6 - 6 : 10

- Com base no Sl. 85.8: "Escutarei o que Deus, o SENHOR, disser, pois falará de paz ao seu povo e aos seus santos; e que jamais caiam em insensatez", estamos buscando ouvir o nosso Deus nestes dias quanto às diversas áreas de nossa vida. Vivemos dias em que muitas vozes ecoam por todos os lados a respeito dos relacionamentos familiares. Precisamos discernir qual é a vontade de Deus para nossa família, quando muitas estão vivendo momentos de dificuldades
- Há neste texto um princípio espiritual de semeadura e colheita. A nossa vida é regida por este princípio vs. 7: "pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará". Mas o que isto tem a ver com nossa família? É simples, a família é um lugar de semeadura e colheita, nós semeamos e colhemos todos os dias, e temos a expectativa de uma excelente colheita.
O que este texto nos ensina sobre esta semeadura e colheita?

1) Precisamos da semente certa
- Quando eu era adolescente, morava em uma casa com um terreno ao lado, onde resolvemos fazer uma horta. O interessante é que quando eu plantava alface, nascia alface, quando plantava cebolinha, nascia cebolinha. Incrível, mas esta lei espiritual funciona. Aquilo que semearmos, vamos colher. O que precisamos então é escolher a semente certa.
- Mesmo que não estejamos percebendo, estamos semeando a todo momento. A pergunta é: o que estamos semeando em nossa casa ou família? Esta palavra tem por objetivo nos ajudar a voltarmos para os valores e princípios da Bíblia. Muitos têm semeado o que o texto chama semeadura da própria carne Gálatas. 5. 19-21: "Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, invejas, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, a respeito das quais eu vos declaro, como já, outrora, vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam".
- Precisamos optar se vamos semear para o Espírito ou para carne. Se vamos olhar para nosso casamento como aliança que conta com a benção de Deus ou como um contrato onde pode ser desfeito a qualquer momento. Se nossos filhos vão receber limites de amor sendo ensinados no caminho em que devem andar (Pv. 22.6), não sendo levados à ira (Ef. 6.4) ou os deixaremos livres para que decidam o que quiserem, ou o que a televisão ensinar. Nós os levamos à ira quando exigimos deles coisas que nós não estamos vivendo. Muitos filhos estão fora do evangelho hoje, porque não estão vendo mudança de vida nos seus pais. Se vamos fazer como todos (senso comum) ficando e dando pegas até acharmos quem é melhor ou se vamos esperar no Senhor. Se vamos correr atrás do ter abusando do crédito e das dívidas ou se vamos esperar o Maná chegar, se vamos viver "uns aos outros" ou só pensar em nós mesmos
- Devemos semear em santidade, rompendo com o pecado, em oração, declarando as promessas da palavra, dando exemplo, estendendo a mão em horas difíceis, nos alegrando com as vitórias, exortando e disciplinando diante dos erros.
- Apesar de eu nunca ter plantado, em nossa horta nascia sempre uma graminha (tiririca), com uma batatinha na raiz que persistia em aparecer. O diabo já tomou providência em semear em nossa casa toda espécie de erva daninha (Mt. 13. 24-30 parábola do joio e do trigo). Ele não precisa de ajuda para isso. Precisamos é cuidar da nossa semente.

2) Precisamos da atitude certa
- Quando meditava neste texto uma expressão me chamou a atenção o vs. 9: "não nos cansemos de fazer o bem" e um sentimento veio forte ao meu coração. Muitos pais se cansam no meio do caminho, se cansam de fazer o bem aos filhos. Já ouvi frases como:
Não tem jeito mesmo..., ou: Vou deixar para lá... Esse menino (a) não vai dar em nada. Muitos maridos se cansam das esposas e esposas de maridos. Jovens se cansam dos estudos, pessoas do trabalho ou ainda do ministério, outros se cansam da própria vida.
- Andamos cansados de muitas coisas, há horas em que queremos desistir, mas Paulo nos exorta que se não desfalecermos (vs. 9), se perseverarmos crendo que Deus está agindo na nossa vida, no tempo certo ceifaremos.
- Manter a atitude de semear na Palavra exige perseverança. Isaías 28. 10 e 13 nos ajuda a entender isto: "Porque é preceito sobre preceito, preceito e mais preceito; regra sobre regra, regra e mais regra; um pouco aqui, um pouco ali..." Muitas vezes temos que ensinar, repetir, e repetir de novo. Falar, uma, duas e muitas vezes. Não temos o direito de nos cansarmos de fazer o bem, se com filhos, cônjuges ou outra pessoa ou área qualquer, porque Deus nunca desiste (ou se cansa) de nós.
Você está cansado, tem pensado em desistir, ou você já desistiu de sua família, trabalho ou ministério? A mensagem para nós é continuem, continuem. Deus quer fortalecer seus braços, sua vida nesta hora.

3) Temos uma colheita certa
- Primeiro precisamos cuidar da semente, depois do trabalho, não podemos parar. Agora temos uma promessa de Deus para nós e nossa família . Quando permitimos que outras sementes sejam plantadas em nossas casas, que não são das que procedem da voz de Deus, colheremos para corrupção (vs.8). Aquele que semeia vento colhe tempestade. Oséias 8.7: "Porque semeiam ventos e segarão tormentas".
O vs. 9 nos diz que se perseverarmos e não desfalecermos, "a seu tempo ceifaremos". Nossa família será bendita no Senhor Is. 61.9: "A sua posteridade será conhecida entre as nações, os seus descendentes, no meio dos povos; todos quantos os virem os reconhecerão como família bendita do SENHOR".
- O problema é que muitas vezes não sabemos esperar o tempo de Deus "a seu tempo". Quando plantava a semente de alface, todo dia eu ia lá olhar se já havia nascido. Mas era necessário um tempo. Muitas vezes plantamos sementes erradas e ruins e estamos colhendo frutos amargos. Muitas vezes fizemos escolhas erradas e estamos colhendo frutos da carne.
- Precisamos perseverar no plantio da boa semente do evangelho, e esperar a ação do Espírito Santo na nossa vida, de nossos filhos, cônjuges para que a velha colheita se encerre e venha a colheita tão desejada. Deus trabalha pouco a pouco. Sl. 126.6: "Quem sai andando e chorando, enquanto semeia, voltará com júbilo, trazendo os seus feixes."
- Nesta hora, CREIA que temos uma colheita certa.

Conclusão
- Vimos que a família é lugar de semeadura e colheita. Precisamos plantar a semente certa, ter a atitude certa e espera a colheita certa.
- Em Lucas 6.37 e 38 lemos sobre dar e receber, é o mesmo que plantar e colher uma superabundante colheita.

www.ilustrar.com.br

quarta-feira, 18 de maio de 2011

ALICERCES DE UM CASAMENTO !!!


“Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma só carne. E ambos estavam nus, o homem e a sua mulher; e não se envergonhavam.” (Gn 2:24,25)

Quando Deus criou o casamento, Ele o fez para que homem e mulher pudessem completar um ao outro em suas necessidades espirituais, emocionais, intelectuais, físicas e sociais. Para que o casamento cumpra o propósito é necessário, porém, que esteja alicerçado na Rocha que é Jesus.

O alicerce é a base sobre a qual se constrói um muro, uma casa, um edifício. A Bíblia diz em Lucas 6:48 “É semelhante a um homem que, edificando uma casa, cavou, abriu profunda vala e lançou alicerce sobre a rocha; e, vindo a enchente, arrojou-se o rio contra aquela casa e não a pôde abalar, por ter sido bem construída.”

O fato é que quando casamos trazemos toda a carga familiar que adquirimos em toda a nossa criação. Normalmente não aprendemos que só devemos conservar essa herança familiar se ela for boa e o que acontece é que preservamos conosco o bom e o ruim, o que pode prejudicar o relacionamento conjugal. Portanto, para a realização plena da aliança é necessário amadurecimento e emancipação (Gn 2:24).

Ao formarmos uma família, devemos aprender a tomar as decisões em casal, sem nos deixar influenciar pelas posturas de nossos pais e familiares. E para isso é preciso libertação de algumas amarras que muitas vezes tentam prender os cônjuges.
O casal deve buscar fortalecer um ao outro, tendo como prioridade gerar amor, comunhão e respeito no dia-a-dia. Tudo na aliança vem através da dedicação mútua e é alcançado quando o homem e a mulher decidem:

1. Deixar a dependência emocional.
“Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma só carne.” (Gn 2:24)
O casal, após firmar aliança, não deve morar com os pais de nenhum dos cônjuges, mas precisam ter em mente que construir uma família fala de viver um para o outro, cuidando um do outro. A provisão para o lar virá do trabalho dos dois e não mais dos pais, como antes.

2. Deixar os hábitos e heranças espirituais da família.
“...sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver, que por tradição recebestes dos vossos pais...” (I Pe 1:18).
Muitas vezes, em virtude da convivência com os pais corremos o risco de nos tornarmos vítimas de um comportamento que poderá nos aprisionar por toda a vida. E ao entrarmos no casamento precisamos renovar a mente com base na Palavra de Deus.
Não podemos preservar conosco o que não é bom, por isso decida romper com todos os hábitos e heranças espirituais que você adquiriu em sua família que não contribuirão de forma benéfica para o seu relacionamento conjugal. Construa seu casamento firmado na Rocha.

3. Deixar a influência de certas palavras
“A morte e a vida estão no poder da língua, o que bem a utiliza come do seu fruto.” (Pv 18:21)
No decorrer de nossas vidas recebemos muitas palavras que são contrárias ao propósito que Deus tem para nós. Quantas palavras que foram liberadas no reino do espírito e acabaram nos influenciando, de forma errada, a maneira de pensar e de agir. Essas palavras podem interferir no relacionamento e portanto, devem ser renunciadas.
A língua maligna destrói o caluniador, o caluniado e o ouvinte e a morte causada por essas palavras, na maioria das vezes não é física, mas é mortal, porque nem sempre pode ser vista, por isso mata a alma.

4. Deixar problemas de relacionamento familiar
“...tendo cuidado de que ninguém se prive da graça de Deus, e de que nenhuma raiz de amargura, brotando, vos perturbe, e por ela muitos se contaminem; e ninguém seja devasso, ou profano como Esaú, que por uma simples refeição vendeu o seu direito de primogenitura.” (Hb 12:15,16)
Muitas pessoas foram vítimas de agressões físicas, emocionais, sexuais e hoje carregam amargura na alma, lembranças dolorosas que podem afetar os sentimentos em relação aos pais e conseqüentemente em relação ao cônjuge.
A amargura prejudica o lar e impede que as bênçãos cheguem até o casal. Portanto, não alimente sentimentos negativos em sua vida, busque a cura de Deus para que você e o seu cônjuge tenham a melhor família de toda a terra.
Faça o conserto que for preciso, mas decida pela cura. A cura é o único meio pelo qual todo o peso do passado é removido. Precisamos arrancar todas as raízes de amargura que foram construídas no passado, porque toda raiz de amargura produz frutos amargos e nós fomos chamados a viver uma vida de plenitude, Jesus conquistou essa vida na cruz do calvário.

Deus tem bênçãos para a família de Gênesis a Apocalipse. Como Seus filhos temos um direito e uma herança de vivermos cada uma dessas bênçãos. Não abra mão de ter uma família alicerçada nas bases que a Palavra apresenta. Usufrua as benécies de Deus para o seu relacionamento conjugal, dessa forma vocês só têm a ganhar.
Prs. Wilson e Cláudia Ayub

sexta-feira, 22 de abril de 2011

HOMENS X MULHERES


Homens e mulheres são extremamente diferentes.
Muitas das brigas nos casamentos, acontecem porque marido e mulher, não sabem que são diferentes.

“Disse mais o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só;
far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea”(Gn 2.18).

A palavra auxiliadora no hebraico significa “alguém que ajuda”, mas também significa “alguém que é oposto”. Portanto, Deus fez para o homem alguém diferente dele. A verdade é que o oposto traz contradições, e ninguém gosta de ser contrariado. Então, nesse caso, quem se opõe, torna-se inimigo. É por isso que muitas vezes as brigas acontecem.

A Bíblia inteligentemente, trouxe dicas para lidarmos com isso:

“Não obstante, vós, cada um de per si também ame a própria esposa como a si mesmo, e a esposa respeite ao marido.” (Ef 5.33 – ARA).

O marido tem a necessidade de ser respeitado e a esposa de ser amada. Entende a diferença? Deus fez homens e mulheres com necessidades diferentes.

A grande queixa das mulheres, é que elas não se sentem amadas e a dos homens, é que eles não se sentem respeitados.

Quando o homem não ama a esposa, ela reage com desrespeito. Quando a esposa desrespeita o marido, ele reage com falta de amor. Comportamento gera comportamento!

Como os maridos e as esposas não entendem que pensam e agem de diferentes maneiras, se desrespeitam e não se amam.

Observemos como eles são diferentes:

• Homens tem senso de competição – eles vivem apostando corrida e querendo descobrir quem é o melhor! Mulheres tem senso de cooperação – elas são sempre atenciosas. É o instinto materno.
• Homens programam as coisas e não comunicam – eles acham que por estarem no controle de tudo, não precisam comunicar – é instintivo. Mulheres comunicam antes de se programarem – Elas falam: “Meu bem, estava pensando em fazer...” – elas querem compartilhar tudo.
• Homens não gostam de serem mandados, por isso normalmente se irritam quando a esposa manda nele – ele foi projetado para ser o chefe da casa. Mulheres querem sempre saber a opinião do marido.
• Homens não gostam que dêem palpite quando dirigem – todo homem acha que dirige melhor que o Ayrton Senna. Da mesma forma que mulheres não gostam que dêem palpites na sua cozinha. – Nesse item, homens e mulheres fogem a regra.
• Em alguns momentos, homens não gostam de ser interrompidos – eles acham que merecem esse momento de relaxamento por que trabalharam muito durante o dia, ou a semana. Ficam algumas horas assistindo nada na TV, apertando o controle. Eles se sentem como um leão quando alguém invade o seu espaço. Mulheres adoram que o homem dê palpite no que estão fazendo – sentem-se amadas. Pensam: “Puxa! Meu marido está se importando comigo!”.
• Homens não enxergam um palmo a frente – outro dia, a pedido de minha esposa, fui pegar uma caixa de bombom que estava na prateleira da cozinha. Tentei várias vezes achar a caixa de bombom que estava na minha frente, mas não achei. Eu imaginava a caixa de bombom da Nestlé, azul, mas a caixa que eu tinha que pegar era amarela, da Garoto, pois era da marca que minha esposa gostava, e não a que eu gostava. Mulheres conseguem ver tudo ao seu redor! É incrível!
• Homens trazem tudo errado do supermercado – toda mulher já reparou que, salvo algumas exceções, seu marido sempre trás algo ou tudo errado, daquilo que ela pediu na lista. Eles querem ser praticos e acabar logo com a compra. Mulheres lêem todos os prazos de validade nas embalagens, as receitas e até as características de um produto novo.
• Homens não abrem seu coração – dessa forma acham que mostrarão que são fracos. O problema é que as mulheres precisam de afeto e cumplicidade emocional. É a forma delas se sentirem amadas, e para elas, abrir o coração é a melhor maneira de cumplicidade.
• Homens são propensos a tomarem decisões sozinhos – faz parte de seu instinto de cabeça do lar. Infelizmente esquecem que Deus fez uma ajudadora, com opiniões diferentes para debater e tomar a melhor decisão em conjunto, como uma só carne.
• Homens gostam de contrariar – mostram que estão no controle. Mulheres gostam de colaborar, são muito mais inteligentes!

É preciso entender que homem e mulher agem e tem comportamentos diferentes. Compreender a diferença, nós leva a entender nosso cônjuge e a lidar com as situações corriqueiras do dia-a-dia. Nós leva a ter mais paciência e a desenvolver métodos para lidar com isso.

Não brigue com seu amor, mas respeite as diferenças e saiba lidar com isso.

QUANDO UM HOMEM AMA A SUA MULHER


O que é o matrimônio senão a união de duas pessoas diferentes, não apenas porque vieram de famílias e ambientes distintos, mas porque biologicamente e afetivamente têm diferenças fundamentais que se complementam.
Esta complementaridade é a base de um empreendimento magnânimo. A época do namoro é apaixonante e inesquecível, mas amor verdadeiro é aquele que se constrói e que se transforma em base sólida para uma família.

Percebe-se com o passar dos anos uma queixa constante das mulheres em relação a seus maridos. Eles não lhes dão a devida atenção. Alguns maridos têm a tendência machista de ver as responsabilidades e aspirações de sua esposa em segundo plano. Elas existem tão somente para servir à família, e não a respeitam plenamente como co-responsáveis pela mesma. Outros admiram, valorizam e respeitam carinhosamente a esposa e mãe de seus filhos, mas estão tão preocupados com seus próprios afazeres, que não apenas se desleixam pelos assuntos familiares, como também descuidam das necessidades de sua esposa.

O corpo do homem é diferente do da mulher. O que é visível é óbvio. Mas existe uma diferença fundamental na formação do cérebro da mulher, em relação ao do homem, que faz com que ambos processem as informações de forma distinta. Enquanto o homem tende a fracionar para ter uma visão global, a mulher tem a tendência de multi-processar para ter a mesma visão global... complementar. Nos extremos, o homem tem uma visão racional do que consegue explicar... o que lhe facilita a vida... e a mulher um sexto sentido... que lhe remói o estômago.

O homem sábio é aquele que ouve a sua mulher antes de assumir posição frente a um assunto que atinja o âmbito familiar. O casal se une numa só pessoa. Duas cabeças que se complementam tão perfeitamente, juntas, só podem pensar melhor. As decisões fundamentais da família, sejam do cotidiano ou não, são melhores tomadas a dois.
Outra diferença fundamental está nas necessidades afetivas de cada um. A mulher por sua natureza é um poço de afetividade, e ninguém desempenha melhor papel de mãe senão ela. O marido sábio é aquele que se desdobra para suprir este poço de carinho e afeição. Como tem que regar o jardim da família com abundância, as esposas demandam atenção com voracidade, em uma proporção maior que os maridos. Estes, por sua natureza tosca, têm a tendência suicida de descuidar este aspecto.

O homem sábio é aquele que se auto-educa, vence sua natureza e se supera. Sabe ser atencioso com sua esposa, estar pendente das pequenas coisas que a fazem se sentir querida.

O homem sábio é aquele que valoriza sua esposa frente aos filhos. Ensina-os a amar e respeitar a mãe deles como o faz como esposo. Continuamente a elogia e chama atenção de suas qualidades. O homem que ama a sua mulher, a coloca no pedestal, a faz rainha do lar.

E se duas cabeças, juntas, pensam melhor... são mais eficazes quando o fazem com a cabeça fria e fora da presença dos filhos, a portas fechadas. São infrutíferas as pequenas ou grandes discussões na presença dos filhos. Ambos se desprestigiam, pois fica evidente que não estão alinhados. Cria ruptura no ambiente e enfraquece a autoridade de ambos. O homem ama a sua mulher quando prestigia e valoriza a sua mulher frente a si e frente aos filhos.

Para que qualquer grande ideal seja atingido, uma grande dose de força de vontade tem que ser aplicada. O marido e a mulher, ambos, não se casam para ser servidos, mas para servir. As necessidades mais importantes não são as próprias, mas as do outro. Por sua natureza afetiva, a mãe se desdobra para atender aos filhos... pois que se lembre que o marido, com toda a sua autoridade, é o seu caçula !! Por sua natureza tosca... o homem tem que colocar uma boa dose de força de vontade para ser afetivo com sua esposa... tem que se esforçar para deixar bem evidente de que é atencioso.

O homem ama a sua mulher quando se esforça... para amar a sua mulher!!

Esse artigo foi escrito por André Pessoa,mestrado em Orientação Familiar por Navarra, para o Portal da Família.

sábado, 16 de abril de 2011


Um Casamento que Glorifica a Deus

Existem certas coisas neste mundo que não podem ser vistas, mas que podem ser ilustradas ou demonstradas de alguma forma:
* Eletricidade: você não pode vê-la, mas experimente colocar o dedo na tomada e perceberá que ela realmente existe;
* Oxigênio: tente prender a respiração por apenas cinco minutos e verá não só que o oxigênio existe, mas que você precisa dele para viver;
* Gravidade: jogue uma agulha de cima de um prédio e ela cairá (não tente pular do prédio, pois as conseqüências podem ser ruins).

A Palavra de Deus nos mostra que existem certos aspectos da vida cristã que também não podem ser vistos, mas que podem ser demonstrados. E a relação entre Cristo e a Igreja é uma delas!

"Mulheres, sujeite-se cada uma a seu marido, como ao Senhor, 23-pois o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o cabeça da igreja, que é o seu corpo, do qual ele é o Salvador. 24-Assim como a igreja está sujeita a Cristo, também as mulheres estejam em tudo sujeitas a seus maridos. 25-Maridos, ame cada um a sua mulher, assim como Cristo amou a igreja e entregou-se por ela 26-para santificá-la, tendo-a purificado pelo lavar da água mediante a palavra, 27-e para apresentá-la a si mesmo como igreja gloriosa, sem mancha nem ruga ou coisa semelhante, mas santa e inculpável. 28-Da mesma forma, os maridos devem amar cada um a sua mulher como a seu próprio corpo. Quem ama sua mulher, ama a si mesmo. 29-Além do mais, ninguém jamais odiou o seu próprio corpo, antes o alimenta e dele cuida, como também Cristo faz com a igreja, 30-pois somos membros do seu corpo. 31-or essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e os dois se tornarão uma só carne. 32-Este é um mistério profundo; refiro-me, porém, a Cristo e à igreja. 33-Portanto, cada um de vocês também ame a sua mulher como a si mesmo, e a mulher trate o marido com todo o respeito. " Efésios 5.22-33

Deus deseja ilustrar no casamento uma relação única que existe entre Cristo e a Igreja. Nenhum outro tipo de relacionamento representa tão intimamente esta união. Nem mesmo o amor entre mãe e filho é tão íntimo quanto o casamento, pois apenas marido e mulher formam “uma só carne”. Portanto, se os casados querem cumprir seu propósito neste mundo de glorificar a Deus com suas vidas, precisam ter um casamento que reflita a união entre Cristo e a Igreja. Tanto o marido como a esposa têm a sua participação nisso, embora de formas diferentes.

1. As esposas glorificam a Deus refletindo a submissão da Igreja à Cristo .

"Mulheres, sujeite-se cada uma a seu marido, como ao Senhor," Efésios 5.22

Quando o texto bíblico acrescenta a expressão “como ao Senhor”, está colocando um padrão altíssimo para a mulher. Ela deve ser submissa ao marido da mesma forma em que deve estar debaixo da autoridade do próprio Cristo.

Este tipo de submissão não é devida apenas ao marido. Todas as pessoas devem ser submissas a todas as autoridades, pois a Bíblia afirma que toda autoridade procede de Deus. É Ele quem concede autoridade ao presidente, aos governadores, aos juízes, ao seu patrão, etc. Por isso, aqueles que têm problemas em se submeter a elas, demonstram ter problemas em se submeter à autoridade do próprio Deus.
Por outro lado, a mulher que se submete ao marido demonstra ter um coração submisso ao próprio Cristo, e, neste sentido, sua vida manifesta o tipo de submissão que a Igreja deve ao Senhor. Deus é glorificado por isso, pois Sua autoridade é exaltada por mulheres que voluntariamente se sujeitam ao marido por reconhecerem, por detrás dele, a autoridade que vem do próprio Deus.
Em seguida, Paulo mostra porque a submissão da mulher ao marido é algo tão importante: porque representa a submissão que a própria Igreja deve a Cristo.
"23-pois o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o cabeça da igreja, que é o seu corpo, do qual ele é o Salvador. 24-Assim como a igreja está sujeita a Cristo, também as mulheres estejam em tudo sujeitas a seus maridos." Efésios 5.23-24

Ser submissa não significa ser inferior ao homem, ou que a mulher tem menos valor dentro da família, mas sim que, dentro do lar, o marido foi colocado por Deus como sendo a autoridade final. E podemos perceber que submissão não é sinônimo de ser inferior dentro da Trindade. Temos três pessoas distintas: Pai, Filho e Espírito Santo. Os três são igualmente Deus, mas, no entanto, existe uma hierarquia de autoridade entre Eles, na qual o Pai está acima. O fato de Jesus estar abaixo nesta hierarquia não significa que Ele é menos Deus, ou menos importante.

Todos os seres humanos são iguais perante a lei. Não existe alguém que tenha mais valor do que outro. No entanto, existe diferença de autoridade entre as pessoas. Um juiz, como pessoa, possui o mesmo valor do que eu, mas por causa de sua função, ele tem autoridade sobre mim, e eu devo me submeter a ele.
Diante disso, podemos chegar às seguintes conclusões práticas:

•Depois que o marido tomar uma decisão final (após uma conversa com a esposa), a esposa deve acatar a decisão sem crítica negativa ou rebeldia.
•a mulher não deve tentar mandar no marido de forma indireta, através de chantagem emocional (lágrimas) e usando o sexo como arma.
•é sábio que o marido tome as decisões junto com a esposa. Porém, em caso de divergência, a decisão final é do marido;
•mulheres, consultem seus maridos antes de tomar uma decisão;
•evite criticar de maneira errada as decisões do marido;
•fale para seu marido aquilo que você espera dele como líder, não espere que ele adivinhe sua vontade;
•não se rebele diante das decisões de seu marido, a menos que tenha um motivo bíblico.

2. Os maridos glorificam a Deus refletindo o amor de Cristo pela Igreja

"Maridos, ame cada um a sua mulher, assim como Cristo amou a igreja e entregou-se por ela" Efésios 5.25
O texto bíblico nos mostra que o padrão de Deus para os maridos também é altíssimo. Eles devem amar suas esposas da mesma forma que Jesus amou a Igreja. E o amor de Cristo se manifestou por nós especialmente através de Seu sacrifício na cruz em nosso favor.
A Bíblia nos mostra que o sacrifício de Jesus pela igreja teve um objetivo. Ele foi feito com o propósito de santificá-la, para aperfeiçoá-la.
"26-para santificá-la, tendo-a purificado pelo lavar da água mediante a palavra, 27-e para apresentá-la a si mesmo como igreja gloriosa, sem mancha nem ruga ou coisa semelhante, mas santa e inculpável." Efésios 5.26-27

No verso 28, Paulo diz: “Assim também os maridos devem amar a sua mulher”. Isso significa que, de certa forma, Deus espera que o amor dos maridos se manifeste em sacrifício que produza crescimento e santificação na vida das esposas. Os maridos são, portanto, pastores de suas esposas.
O sacrifício que Deus espera dos maridos em relação às suas esposas não é de qualquer natureza. Existem maridos que se sacrificam no trabalho para dar boas condições financeiras para a esposa. Existem aqueles que se empenham em satisfazer a esposa emocionalmente, socialmente ou sexualmente. Porém, a Bíblia ordena que os maridos cuidem de suas esposas espiritualmente. O sacrifício, de acordo com o texto, é para produzir santificação.
Maridos, não vale a pena conquistar o mundo (negócios) e perder a sua esposa e família. Dedique tempo à sua esposa. Não precisa ser horas do seu dia, mas planeje-se para sempre ter tempo para ela.
•proporcione tempo para que sua esposa busque a Deus;
•lidere espiritualmente o seu lar (orações, conversas, culto doméstico, etc);
Veja algumas sugestões práticas:
•Tempo de sofá: Pode ser apenas quinze a vinte minutos do seu dia para se sentar com sua esposa e perguntar como foi o dia dela e ouvi-la.
•Tempo devocional: o marido também é o líder espiritual da família. Separe um tempo para orar e ler a Bíblia com sua esposa para que vocês possam crescer juntos.

Assim como Cristo ama a Igreja, que é o Seu corpo, nós devemos amar nossa esposa, pois ela é o nosso corpo. A Bíblia diz que quando nos casamos ocorre a união mais profunda entre dois seres humanos: os dois se tornam uma só carne. Também ensina que já não temos mais poder sobre o nosso corpo, pois ele pertence ao nosso cônjuge (1 Coríntios 7.4). Por isso, ao amar sua esposa, na verdade, estará amando a si mesmo:
"Da mesma forma, os maridos devem amar cada um a sua mulher como a seu próprio corpo. Quem ama sua mulher, ama a si mesmo. Além do mais, ninguém jamais odiou o seu próprio corpo, antes o alimenta e dele cuida, como também Cristo faz com a igreja, pois somos membros do seu corpo. "Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e os dois se tornarão uma só carne." "Este é um mistério profundo; refiro-me, porém, a Cristo e à igreja." Efésios 5.28-32

Ao fazer isso, estamos manifestando o amor que Cristo tem pela Igreja. A relação entre as duas coisas é tão íntima que Paulo começa o verso 31 falando do casamento e no 32 afirma estar se referindo, na verdade, a Cristo e à igreja. E a conclusão, em seguida é:
"Portanto, cada um de vocês também ame a sua mulher como a si mesmo, e a mulher trate o marido com todo o respeito." Efésios 5.33

O seu casamento está sendo uma ilustração fiel do relacionamento entre Cristo e a igreja? Para que seja assim, é preciso investir no relacionamento. É preciso conversar, buscar a Deus (separados e juntos), orar, e praticar os princípios bíblicos.
Que a glória do Deus invisível se torne visível às pessoas por meio do seu casamento!!!
Autor: Ivis Fernandes


AS CINCO LINGUAGENS DO AMOR

O ser humano tem a necessidade de ser amado. Deus nos fez assim. Os psicólogos concluíram que sentir-se amado é uma das principais necessidades do homem. Tanto é assim que o homem sempre procura alguém para casar. A Bíblia diz que Deus criou o homem e percebeu que não era bom que o homem ficasse só, então criou a mulher para amá-lo (Gn 2.18 e Ef 5).
Dentro de cada pessoa há um tanque de amor esperando para ser cheio. Quando esse tanque está cheio, tudo vai bem para ela, porém quando está vazio, geralmente, tudo vai mal. Por isso a Bíblia declara que é melhor serem dois do que um. O problema é que nem todos tem o tanque cheio de amor.

Geralmente quando estamos no início do relacionamento tudo vai bem, mas depois piora. Isso porque no início, estamos apaixonados. Paixão é uma experiência eufórica, na qual um fica completamente obcecado pelo outro. Quando estamos apaixonados, não vemos os defeitos no outro. Todos vêem os defeitos e avisam o apaixonado, mas ele é o único que não vê. Está impedido pela venda do amor. Os estudos mais antigos mostram que a paixão dura dois anos. Hoje, como todas as coisas são mais dinâmicas e rápidas, acredito que esse tempo de duração da paixão caiu muito, mas o que importa é saber que um dia a paixão acaba. Perceba que refiro-me a paixão e não ao amor.
Quando a paixão acaba, os olhos do cego se abrem, pois a venda da paixão foi tirada. Então o ex-apaixonado enxerga os erros do outro, percebe como essa pessoa é irritante, e que os acusadores tinham razão. Nesse momento o ex-apaixonado se sente enganado pelo outro.
É nesse momento que devemos fazer uma escolha. Devemos optar pelo amor. Amor é diferente de paixão. Em I Co 13.7 lemos:

“Quem ama nunca desiste, porém suporta tudo com fé, esperança e paciência. - (NTLH)

Amar é gastar energia em suprir as necessidades do cônjuge, é viver para agradar o outro.
A Bíblia não trás a palavra namoro. Ela só faz referência a noivado e casamento. Tanto o noivado quanto o casamento são sagrados para Deus, e uma vez aliançado entre homem e mulher não tem volta.
Não importa como você chama seu relacionamento; pode até ser namoro, mas o que importa é que nunca aconteça a separação.
Como crentes, quando escolhemos nosso parceiro(a), devemos ter ciência que é para a vida inteira. Então, de certo modo, não existe escolha para o crente depois da paixão ele tem que optar em amar.
Infelizmente muitos cônjuges não se sentem amados, apesar de serem. O problema está na linguagem do amor. Muitos expressam o amor da sua maneira, mas essa maneira pode não ser a que o cônjuge entende como uma demonstração de amor. É como se colocasse um italiano para se comunicar com um japonês. É difícil de se entenderem.
Falar a linguagem de amor do outro, é viver constantemente o romantismo e deixar seu cônjuge realizado, e conseqüentemente a pessoa mais feliz do mundo. Seu relacionamento seguirá mais fácil e sua vida mais alegre.

Vamos falar das 5 principais linguagens de amor:

1. Linguagem de afirmação:

Pv 18.21 diz: “"A morte e a vida estão no poder da língua; o que bem a utiliza come do seu fruto."” Muitos casais não aprenderam o tremendo poder de uma afirmação de edificação mútua. Elogios verbais e palavras de apreciação são poderosos transmissores de amor. São as frases elogiando o cabelo da esposa, ou o vestido, ou o terno do homem. Ou ainda elogios a comida da esposa, ou a ajuda do marido na casa. As vezes são como um grande prêmio para quem a recebe. Mostra que a pessoa alcançou a vitória.
Declare palavras encorajadoras: são poderosas e nos fazem enxergar o valor do profeta.
Conheci uma moça que decidiu fazer faculdade. Ela já namorava há quatro anos. O namorado lhe disse que não conseguiria passar no vestibular. Na época um amigo de trabalho a encorajou a prestar o vestibular e estudar. A moça prestou o vestibular, passou se formou e casou com o amigo encorajador.
Declare palavras bondosa: A maneira de como expressamos nossas frases, pode mudar tudo. Veja o exemplo: - Eu te amooo!!!! Com: Eh... eu te amo...Imagine então: - Tá! Saco! Eu te amo.
Palavras ditas aos gritos com irritação não são expressões de amor, mas de condenação. Palavras bondosas são palavras boas e não más.
Se você tem dificuldade em selecionar palavras para elogiar o cônjuge, procure observar alguns exemplos. Observe alguns casais, veja alguns filmes românticos, peça a Deus para lhe mostrar as qualidades de seu cônjuge. Tire a vergonha e o orgulho para elogiar.
Se essa for a linguagem do seu cônjuge, esforce-se para desenvolve-la. Ame-o!

2. Qualidade de tempo:

É ter tempo de qualidade junto com o cônjuge. Não é um tempo dividido. É dar atenção total ao seu cônjuge. Não é sentar ao lado para assistir TV. Desliguem a TV. Passeiem juntos, saiam para conversar.
Nos restaurantes dá para perceber quem é namorado e quem é casado pela empolgação da conversa e atenção dada ao outro. Compartilhe experiências, pensamentos, emoções, desejos e sonhos. Saiba ouvir o que o outro tem a dizer. Sobre a conversa do casal, reveja a aula de comunicação.
Proporcione programas: Programe saídas a sós. Procure ir ao cinema, ao shopping, ao parque, enfim... onde vocês poderão ter um tempo de valor juntos.
Proporcione momentos a sós: Coloque horários para os filhos dormirem, para que tenham tempo a sós. Não jante ou almoce com a televisão ligada.

Desligue o computador ou o vídeo game para ficar com seu cônjuge. Não troque a televisão pelo seu amor.

3. Receber presentes:

Um presente é mais do que uma recordação, é uma demonstração de amor. Presente é algo que você pode segurar nas mãos sabendo que o cônjuge se lembrou de você. Quando compramos um presente significa que aquela pessoa é especial para nós. Presentes são símbolos visuais do amor. Quem não se recorda de quando ganhou um presente? Para alguns, não receber presente, significa uma incerteza de que é amado.
Não importa o valor: Existem presentes de todos os valores, formas e tamanhos. Você não precisa dar um presente caro para expressar o seu amor. Por outro lado se você tiver muito dinheiro, e der presentes baratos, você esta comunicando que o seu cônjuge não tem valor. Ninguém investe naquilo que não vale a pena.
O presente pode ser elaborado: Um presente não precisa ser comprado, mas pode ser confeccionado como um cartão ou como uma blusa de lã. Pode ser um rosa colhida do jardim.
Descubra o presente ideal: Muitas pessoas não sabem escolher presentes. Observe seu cônjuge. Veja o que ele está lendo, o que pesquisa na internet. Leve seu cônjuge ao shopping e veja o que lhe chama a atenção na vitrine. Anote seus gostos, perceba se repete o desejo por algo ou comente novamente.

4. Formas de servir:

É aquilo que você sabe que seu parceiro gostaria que fizesse. É agradar o outro expressando o amor realizando algo que vai ajudar seu cônjuge. Pode ser uma refeição, ajudar a esposa lavando a louça, arrumar a gaveta dele, pintar o quarto, arrumar aquela tomada com defeito, lavar o carro para ele, fazer uma massagem, etc. Lembre-se que Jesus usou essa linguagem de amor para com a sua noiva lavando os pés dos discípulos na ceia.
Lembro de uma história que ilustra bem essa linguagem de amor. Havia um casal de idosos que estavam casados há muitos anos. Um dia a senhora adoeceu e ficou com os movimentos limitados. O marido sabia que ela era muito vaidosa, então toda a semana, ele fazia as unhas para ela e todos os dias penteava o seu cabelo e passava batom. Na realidade ele passou o resto da vida servindo sua esposa dessa maneira.
Se o seu cônjuge cresceu num ambiente familiar no qual o pai ou a mãe faziam isso, provavelmente ele vai querer isso para ele também.
Se o cônjuge reclama muito que não o ajuda, está na hora de praticar essa linguagem. Prepare-se e sirva seu cônjuge.

5. Toque físico:

Geralmente é a linguagem de amor do homem. Refiro-me ao sexo. Carinho, abraços e toques são uma das maneiras mais expressivas de expressar o amor. Isso sempre existiu.

Os bebês que são abraçados e beijados desenvolvem uma vida emocional mais saudável do que aqueles que não recebem carinho. Até os animais fazem carinho nos seus filhotes. Andar de mãos dadas, beijar, abraçar, por a cabeça no colo, dormir abraçado e ter relações constantemente são essenciais para algumas pessoas.
O ser humano tem espalhado pelo corpo pequenos receptores táteis distribuídos em grupos. A ponta da língua, a ponta dos dedos, do nariz são áreas do corpo extremamente sensíveis, como outras partes do corpo, que se tocadas, levam mensagens de amor ao cérebro. Como também um tapa no rosto leva uma mensagem de agressão. Mas alguns apreciam o toque em lugares diferentes do que geralmente imaginamos. Pergunte ao seu cônjuge e toque-o de maneira agradável.

Descobrindo a linguagem de amor:

Analisar como é família de seu cônjuge e os exemplos que ele viu na sua casa entes de casar, lhe ajudará a descobrir qual é a sua linguagem de amor. Geralmente são aquelas que os pais tinham.
Converse com seu cônjuge e pergunte qual é a sua linguagem de amor.
Pense nas coisas em que seu cônjuge mais reclama. Provavelmente a linguagem de amor dele está ligada a isso.

Descubra e comece a satisfazer a linguagem de amor de seu cônjuge. Você verá a diferença em seu casamento. Muitos dos problemas em seu relacionamento serão resolvidos.

sexta-feira, 1 de abril de 2011

COMO SAIR FORTALECIDOS DA CRISE ?


"E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa,..."


Leitura bíblica Mateus 7: 24-27

Em nenhum momento Jesus disse que pelo fato de estarmos edificando sobre fundamento sólido, com material de primeira e de acordo com o projeto original, não teríamos problemas. Ele disse que o vento iria soprar, a chuva iria cair torrencialmente e haveria combate contra a casa. Jesus não prometeu te livrar dos problemas, mas sim no problema. Deus não livrou Daniel da cova, mas o livrou na cova. Problemas existem, mas podem ser superados.

"Seu casamento é fortalecido à medida que os dois aprendem a transformar tragédias em triunfos e tornam-se vencedores em vez de vítimas". (Barbara Russel Chesser)

O que pode desencadear uma crise no relacionamento de casal? São várias coisas...vários motivos...várias razões....várias argumentações...etc.

O que desencadeou a crise no casamento de vocês? É necessário que vocês dialoguem sobre essa questão. A transparência de forma sadia e equilibrada, vai ajudar no processo de cura e restauração no casamento. Mas tudo deve ser feito em amor e debaixo de muita oração.

Como sair fortalecidos da crise:

1. Saiba que o casamento é o único "jogo" em que os dois podem "ganhar". Em artigo para a revista seleções o psiquiatra Pittman disse: "Não há como ganhar contra seu cônjuge. Ou vocês dois ganham ou os dois perdem".

2. Não use o cônjuge como bode expiatório. Enfatize os sentimentos positivos de um para com o outro e não dê muita atenção aos sentimentos negativos. Focalize as qualidades do companheiro (a).

3. Mantenha os canais de comunicação aberto. É nestes momentos de turbulência que o casal precisa conversar muito, dialogar e "discutir construtivamente".

4. Evite a todo custo que o "passado" seja o combustível que alimenta e torna a crise mais intensa e prolongada. Podemos até lembrar o passado para recapitular as lições aprendidas, mas é necessário tirar o foco do passado e colocá-lo no futuro. (Fl. 3:13)

5. Mantenha-se aberto para receber ajuda e aprender com outras pessoas. Sempre haverá pessoas com mais experiência que poderão ajudar, pode ser um membro da família, um irmão, um amigo ou alguém da liderança da igreja que trabalha na área de aconselhamento.

6. Lute contra a tempestade, motivado por aquilo que gera esperança. Os chineses talvez tenham sido os primeiros a reconhecer a natureza dupla da crise. Sua palavra para crise é escrita com dois caracteres, um que significa perigo e um que significa oportunidade. A crise é, de fato, mais do que apenas um problema - é um momento decisivo, uma catalisadora de forças para quebrar velhos padrões, evocar novas reações e determinar novas direções e novos inícios. Reflita nas palavras deste verso: "Dois espiam pela grade; um vê a lama e o outro, estrelas de verdade" Ler Rm. 5:3-5.

7. Seja sensível para perceber a presença de Deus. Este é um recurso espiritual muito poderoso. Concordo quando alguém diz que, sua razão para esperança e sua fé em Deus, lhes dá um senso de propósito e força. A percepção da presença de Deus te faz mais paciente, perdoador, o leva a vencer mais depressa a raiva, a ser mais positivos e a apoiar mais um ao outro. ( Luc.7: 47; Efésios 4: 32)

8. Lute consciente de que as promessas de Deus não morrem. Morrem os profetas, mas Deus é fiel no que prometeu. Quem tem promessas, tem razões para ter esperança. (Hb. 13:5; 6:18,19; Sl. 46:1)

9. Faça uma leitura positiva da crise. Paulo nos ensina sobre isso em Rm 5:3-4 quando diz: a) nos gloriamos nas tribulações; b) a tribulação produz a paciência;
c) paciência a experiência; d) experiência a esperança.

10. Faça da crise uma oportunidade para o Espírito Santo desenvolver em você o seu fruto (Gl. 5:22). A crise pode adubar o terreno do nosso coração para a produção do fruto do Espírito.

11. Administre o problema com inteligência emocional. Deixa a razão ir à frente da emoção. Nunca se esqueça que os mansos herdarão a terra. (Mt. 5:5)

12. Olhe para o casamento com suas dificuldades, como ferramenta de Deus para libertar você de você mesmo. Uma das maiores vitórias de Deus em nossas vidas é quando Deus nos liberta de nós mesmos. O maior problema do homem é o próprio homem.

13. É na crise que se mede a profundidade de caráter. Os problemas, as tensões, as crises, têm este papel, revelar quem verdadeiramente somos.

14. É na crise que mostramos ao diabo, que a gente serve a Deus pelo que Ele É e não por aquilo que Ele nos dá. (Ex. Jó) Ao perder tudo, Jó disse, receberemos o bem de Deus, e não receberíamos o mal? Em tudo isto não pecou Jó com os seus lábios. (Jó 2:10)

Ernest Hemingway escreveu: "A vida quebra a todos e depois muitos ficam mais fortes nos lugares quebrados". Enquanto muitos casamentos fracassaram depois de uma crise, os cônjuges que sobreviveram a catástrofes dizem frequentemente, ao olhar para trás: - Saímos mais fortes agora. "

Pr. Josué Gonçalves

DIAS DIFÍCEIS PARA A FAMÍLIA


Estamos vivendo dias difíceis para família, porque os homens querem dirigir seus lares por si mesmos, esquecendo-se que o casamento, no principio foi instituído por Deus. “Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e eles se tornarão uma só carne.” Gn 2: 24


Tudo que foi criado por Deus tem que ser orientado e dirigido por Ele. Deus é o Senhor de toda humanidade, por isso para que haja felicidade no casamento, a palavra de Deus deve ditar as regras. É necessário que ambos, o esposo e esposa estejam redimidos em Cristo Jesus.


Temos como exemplo em "Se, porém, não lhes agrada servir ao Senhor, escolham hoje a quem irão servir, se aos deuses que os seus antepassados serviram além do Eufrates, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra vocês estão vivendo. Mas, eu e a minha família serviremos ao Senhor". Js. 24.15 e Eles responderam: "Creia no Senhor Jesus, e serão salvos, você e os de sua casa". que toda a família envolvida com Deus. At. 16.31


No ato em que é realizado o casamento entram em aliança: Jesus Cristo, o marido e a esposa.Esta unidade esteve desde o princípio como plano de Deus, onde essa união é considerada um cordão de três dobras. "É melhor ter companhia do que estar sozinho, porque maior é a recompensa do trabalho de duas pessoas. Se um cair, o amigo pode ajudá-lo a levantar-se. Mas pobre do homem que cai e não tem quem o ajude a levantar-se! E se dois dormirem juntos, vão manter-se aquecidos. Como, porém, manter-se aquecido sozinho? Um homem sozinho pode ser vencido, mas dois conseguem defender-se. Um cordão de três dobras não se rompe com facilidade." Ec. 4.9-12


A fim de que o casamento seja o domínio de Deus sobre suas vidas e traga bênçãos, onde somente a morte os pode separar. "Eles serão o meu povo, e eu serei o seu Deus. Darei a eles um só pensamento e uma só conduta, para que me temam durante toda a sua vida, para o seu próprio bem e o de seus filhos e descendentes. Farei com eles uma aliança permanente: Jamais deixarei de fazer o bem a eles, e farei com que me temam de coração, para que jamais se desviem de mim. Terei alegria em fazer-lhes o bem, e os plantarei firmemente nesta terra de todo o meu coração e de toda a minha alma. Sim, é o que farei". Jr. 32.38-41


Deus ainda nos ensina qual deve ser o comportamento de ambos os cônjuges, conforme "Mulheres, sujeite-se cada uma a seu marido, como ao Senhor, pois o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o cabeça da igreja, que é o seu corpo, do qual ele é o Salvador. Assim como a igreja está sujeita a Cristo, também as mulheres estejam em tudo sujeitas a seus maridos. Maridos, ame cada um a sua mulher, assim como Cristo amou a igreja e entregou-se por ela", onde a base deve ser o amor Ágape, que é o amor de Deus, amor sacrificial. Ef. 5.22-25

A BATALHA PELA FAMÍLIA



Uma batalha está sendo travada nos nossos dias. É a batalha em prol da família.

Os dados inflamados do Maligno sobre a família são muitos. Vamos tentar lembrar de alguns: banalização do divórcio, relativismo moral, secularismo, imoralidade sexual de todo o tipo (homossexualismo, adultério, pedofilia, prostituição, incesto, sexo antes do casamento, pornografia, só para citar alguns), aborto, leis contrárias aos valores morais consagrados até então pela sociedade e outros.

Lendo um livro de Charles Swindoll, Casamento: da sobrevivência ao sucesso, (Editora Thomas Nelson) fui levado a 1 Crônicas 12.23-38. Swindoll escreveu um pouco sobre Issacar (v32), mas procurei pensar nos detalhes de cada tribo que se juntou ao exército de Davi.

Fiquei a pensar que na batalha que estamos travando a favor das famílias, precisamos conclamar homens e mulheres que se alistem nesse exército.

Precisamos, no exército que batalha pela família, de pessoas que estejam prontas para qualquer tipo de combate, como os da tribo de Simeão. Diz a Bíblia que 7.100 guerreiros da tribo de Simeão eram guerreiros prontos para o combate (1Cr 12.25). Precisamos de gente assim. Gente que acredita que essa batalha é de Deus e esteja pronto.

Precisamos de jovens como Zadoque (1Cr 12.28). Essa batalha requer jovens que acreditem que sexo antes do casamento é errado aos olhos de Deus. Precisamos de jovens como José, Daniel, Timóteo. Jovens que não têm medo de assumirem posições cristãs em suas universidades e círculos de amigo.

O exército que luta pela família precisa de pessoas da estirpe de Issacar (1Cr 12.32). Gente que saiba como se posicionar biblicamente em relação aos temas que atingem a família, como por exemplo, aborto e homossexualismo. Gente que tenha o dom de escrever artigos e de pregarem sermões que não deixem dúvidas na cabeça de seus leitores e ouvintes.

Gente que saiba tocar a trombeta de forma correta, tendo como base a Palavra de Deus. Caso contrário teremos um exército vacilante e sem saber por onde caminhar no campo de batalha (1Co 14.8).

A família, enquanto instituição, quer contar com pessoas que sejam como os da tribo de Zebulom (1 Cr12.33). Gente que saiba usar todo o tipo de arma. Gente que tenha facilidade de falar, debater, propor leis, escrever, contribuir para organizações que defendem a família e organizar ações em favor da família. Pessoas totalmente decididas pela família.

O exército que batalha pela família deseja ter em suas fileiras pessoas experientes, como os da tribo de Aser (1Cr 12.36). Se a tribo de Levi contribui com a juventude de Zadoque, a tribo de Aser contribui com guerreiros experientes. Pessoas que tenham experiência de vida conjugal e familiar para denunciar todo o tipo de pecado que tenta atingir a família.

Todos os homens das tribos se apresentaram voluntariamente (1 Cr 12.38). Deus, o comandante desse exército, está a procura de homens e mulheres assim.

As hostes do Maligno estão organizadas em movimentos, na mídia, nos parlamentos. E os filhos de Deus? Estão temerosos, vacilantes, indefinidos?

A batalha está sendo travada todos os dias, silenciosamente. Requer de nós conscientização espiritual dessa luta, organização e ação. Para sermos vencedores precisamos nos apropriar das verdades da Palavra de Deus (Ef 6.10-20).

Termino com uma frase de Dennis Rainey no seu livro Meditações Diárias para casais:

“A batalha em prol da família será ganha se você e eu decidirmos conquistar a frente de batalha que está diante de nós”.


Pr. Gilson Bifano

quinta-feira, 17 de março de 2011

QUATRO CONSELHOS PARA TODO CASAL


Introdução:


A. Há quatro palavras, ou frases, que precisamos falar todos os dias para os nossos cônjuges.
B. Se não falamos em voz alta, precisamos pelo menos falar em nosso coração.
C. Estas palavras curam muitos dos males que prejudicam o casamento.
D. Ao falar estas palavras, a correspondente atitude tem que acompanhar. Se forem apenas palavras, nada adiantariam. E diga você estas palavras:

1. "EU TE PERDÔO"

A. Mt 6.12; 18. 21-22; 2Co 2.10; Ef 4.32
B. Estas palavras (e atitude) curam o ressentimento e amargura.
C. Pergunta para se fazer a si mesmo todos os dias: "Em que eu tenho ofendido ou defraudado? Pelo que eu sinto mal para com meu cônjuge?"

2. "EU TE ELOGIO"

A. Pr 31.28-31; 1Pe 3.7
B. Estas palavras curam a crítica e a acusação.
C. Pergunta para se fazer a si mesmo todos os dias: "O que meu cônjuge fez de bem hoje?"

3. "EU TE SIRVO"

A. Gl 5.13
B. Estas palavras curam o egoísmo e a omissão.
C. Pergunta para se fazer a si mesmo todos os dias: "Como eu posso ajudar meu cônjuge hoje?"

4. "EU TE AMO"

A. Gl 5.14; 2Co 4.5
B. Estas palavras curam a negligência.
C. Pergunta para se fazer a si mesmo todos os dias: "Como eu posso mostrar hoje o meu amor pelo meu cônjuge?"

Conclusão:

A. Se você falar todos os dias estas palavras para seu cônjuge, você terá um relacionamento conjugal que deixará os outros boquiabertos.
B. Deus quer que você vivam bem no casamento; quer também que você viva bem com Ele.

Faça a vontade de Deus em todas as áreas da sua vida.

(Por Randal Matheny)

quarta-feira, 16 de março de 2011

DEZ MANDAMENTOS PARA AS ESPOSAS E PARA OS ESPOSOS




Esposas:

1. Aprenda o verdadeiro significado do amor.

2. Desista de seu sonho de um casamento perfeito e lute por um bom casamento.

3. Descubra as necessidades pessoais de seu marido e tente satisfazê-las.

4. Abandone toda a dependência de seus pais e toda crítica aos parentes dele.

5. Faça elogios e mostre apreciação, em vez de procurá-los para si.

6. Abandone a tendência de ser possessiva ou ciumenta.

7. Cumprimente seu marido com afeto, em vez de fazer reclamações e exigências.

8. Vença o complexo de princesa (Cinderela).

9. Abandone toda esperança de mudar seu marido através de críticas ou ataques.

10. Ore por paciência.



Esposos :

1. Trate sua esposa com firmeza e gentileza.

2. Seja pródigo no louvor e na reafirmação.

3. Defina suas responsabilidades.

4. Evite crítica.

5. Lembre-se da importância das pequenas coisas.

6. Reconheça a necessidade de estarem juntos.

7. Procure inspirar-lhe sentimento de confiança.

8. Reconheça a validade dos estados de espírito dela.

9. Coopere com ela em todo esforço para melhorarem o casamento.

10. Descubra as necessidades individuais dela e tente satisfazê-las.

ORANDO JUNTOS





Compartilhe com seu cônjuge, e... pratiquem!

1. Orem confiantemente: nunca comecem a orar duvidando. "Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se vêem." (Hebreus 11:1). Lembrem-se: nossos impossíveis são nada para Deus. Creiam!

2. Recordem a fidelidade de Deus: Relatem situações em que vocês viram a mão de Deus sobre suas vidas. Tragam à memória aquilo que lhes produza esperança! E declarem juntos Hebreus 13:8, "Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente.

3. Confiem nas promessas: leiam a Bíblia juntos e se agarrem nas promessas de Deus. Inspirem-se na vida daqueles que confiaram, mesmo em meio às tribulações.

4. Reconheçam seus pontos fracos: Cheguem-se a Deus limpos de coração, reconhecendo seus pecados e fraquezas. Isso pode ser feito com alguns minutos de oração silenciosa. Se quiserem, compartilhem um com o outro o que acham que está desagradando a Deus em suas vidas, ou aquilo que está atrapalhando a comunhão, mas não conseguem deixar. Mas atenção, não criem um ambiente de desconfiança e constrangimento. Lembrem-se: é hora para receber o amor de Deus e um do outro.

5. Declarem a fé: Expressem sua confiança em Deus durante a oração. Exponham os pedidos, mas já agradeçam e adorem a Deus, certos de que a resposta certa, virá dos lábios Dele. (Provérbios 16:1)

Que Deus abençoe o seu lar!


Fonte: eucreio.com